sexta-feira, 30 de março de 2012

Programa Cara a Cara, com Patrícia Penteado

http://www.youtube.com/watch?v=yQb8aHECnwU&feature=youtu.be



video
video


O Sonho de Todos os homens, !



Alguém tem dúvida disso?

Brasileiro Reclama De Quê?

Tá " Reclamando do Wellington Salgado? do Sarney? do Collor? Do Renan? do Palocci? do Jucá? do sapo barbudo? do Kassab? Do Arruda? Da Dilma? Enfim...
Brasileiro Reclama De Quê?

O Brasileiro é assim:

1. - Saqueia cargas de veículos acidentados nas estradas.

2. - Estaciona nas calçadas, muitas vezes debaixo de placas proibitivas.

3. - Suborna ou tenta subornar quando é pego cometendo infração.

4. - Troca voto por qualquer coisa: areia, cimento, tijolo, dentadura.

5. - Fala no celular enquanto dirige.

6. -Trafega pela direita nos acostamentos num congestionamento.

7. - Para em filas duplas, triplas em frente às escolas.

8. - Viola a lei do silêncio.

9. - Dirige após consumir bebida alcoólica.

10. - Fura filas nos bancos, utilizando-se das mais esfarrapadas
desculpas.

11. - Espalha mesas, churrasqueira nas calçadas.

12. - Pega atestados médicos sem estar doente, só para faltar ao
trabalho.

13. - Faz " gato " de luz, de água e de tv a cabo.

14. - Registra imóveis no cartório num valor abaixo do comprado,
muitas vezes irrisórios, só para pagar menos impostos.

15. - Compra recibo para abater na declaração do imposto de
renda para pagar menos imposto.

16. - Muda a cor da pele para ingressar na universidade através
do sistema de cotas.

17. - Quando viaja a serviço pela empresa, se o almoço custou 10
pede nota fiscal de 20.

18. - Comercializa objetos doados nessas campanhas de catástrofes.

19. - Estaciona em vagas exclusivas para deficientes.

20. - Adultera o velocímetro do carro para vendê-lo como se
fosse pouco rodado.

21. - Compra produtos pirata com a plena consciência de que são
pirata.

22. - Substitui o catalisador do carro por um que só tem a casca.

23. - Diminui a idade do filho para que este passe por baixo da
roleta do ônibus, sem pagar passagem.

24. - Emplaca o carro fora do seu domicílio para pagar menos IPVA.

25. - Freqüenta os caça-níqueis e faz uma fezinha no jogo de bicho.

26. - Leva das empresas onde trabalha, pequenos objetos como
clipes, envelopes, canetas, lápis.... como se isso não fosse roubo.

27. - Comercializa os vales-transporte e vales-refeição que
recebe das empresas onde trabalha.

28. - Falsifica tudo, tudo mesmo... só não falsifica aquilo que
ainda não foi inventado.

29. - Quando volta do exterior, nunca diz a verdade quando o
fiscal aduaneiro pergunta o que traz na bagagem.

30. - Quando encontra algum objeto perdido, na maioria das vezes
não devolve.

E quer que os políticos sejam honestos...

Escandaliza-se com a farra das passagens aéreas...

Esses políticos que aí estão saíram do meio desse mesmo povo ou não?
Brasileiro reclama de quê, afinal?

E é a mais pura verdade, isso que é o pior! Então sugiro adotarmos uma
mudança de comportamento, começando por nós mesmos, onde for necessário!

Vamos dar o bom exemplo!

Espalhe essa idéia!


"Fala-se tanto da necessidade deixar um planeta melhor para os
nossos filhos e esquece-se da urgência de deixarmos filhos melhores
(educados, honestos, dignos, éticos, responsáveis) para o nosso
planeta, através dos nossos exemplos..." 
 

Amigos!


É um dos e-mails mais verdadeiros que recebi!
A mudança deve começar dentro de nós, nossas casas, nossos valores, nossas atitudes!
E ainda digo mais, "cada povo tem o governo que merece....." Joseph De Maistre

30ª Caminhada do Calvário de Ribeirão Preto

Histórias do futebol


Na minha mocidade até que fui um zagueiro razoável. Mas a música falou mais alto e como música e futebol sempre teve uma relação bem próxima, é natural a minha paixão por esse esporte, principalmente suas histórias.
Até porque nessa minha convivência com o Sócrates ouvi muitas... e vou contar aqui algumas delas.
Foi um dia que fomos à São Paulo. Estávamos numa mesa com Juca Kfouri, Sócrates, Juarez Soares, Jorge Cajurú, entre outros. Como espectador várias histórias rolaram, mas uma que o Juca contou vale a pena ser repetida.
Era sobre uma passagem do saudoso Garrincha, que diga-se de passagem , tive o privilégio de ver jogar.
Com enorme fama de garanhão, teve um filho até na Suécia. Onde quer que fosse jogar, a primeira informação que tentava obter era onde tinha uma zona, uma casa de tolerância, vocês sabem o que significa né!
Certa vez, contou Juca, o Botafogo do Rio de Janeiro time que Garrincha era camisa 7, foi jogar em Belém do Pará. O técnico era João Saldanha, um disciplinador do tipo sargentão que já estava de olho no Garrincha.
Ao chegar na cidade , logo se informou do que queria.
Tomou aquele banho e disse ao técnico que precisava encontrar um telefone para falar com a família. Autorizado vazou! Mas esperto, João Saldanha o seguiu...
Descobriu que Garrincha tinha mesmo ido até a zona do meretrício daquela cidade. Mas não se importou num primeiro momento... queria ver até onde a coisa ia.
 Esperou o jogador entrar no prostíbulo.
Deu um tempo e foi atrás. Quando entrou, deu de cara com o Garrincha grudado numa bela mulher, dançando nomeio de uma pista improvisada. No maior love, contou Juca Kjfouri.
Quando Garrincha viu que o técnico sargentão havia flagrado sua escapadinha, de pronto teve uma tirada genial, “ seu João... até o senhor aqui!!!!!! Disse Garrincha como sempre, em mais uma jogada de mestre!!!! Saudoso Garrincha!

Essa agora é do Juarez Soares. Jornalista esportivo mais conhecido como China, quem não sabe quem é!
Contou que na copa de 1974, também na Alemanha, num hotel super moderno onde estava hospedada a turma da imprensa, um deles foi ao WC, banheiro!!!
Depois de urinar o jornalista percebeu que estava preso no banheiro. Começou aquele rebú! Esmurrou a porta até que uma funcionária, com a chave reserva efetuou o salvamento do desesperado repórter.
Assim que conseguiu abri-la, a funcionária foi imediatamente verificar o vaso sanitário, sei lá porque essa atitude dela. Mas é certo que percebeu que o então jornalista não havia dado descarga. Num alemão raivoso , gesticulando e apontando para o vaso, deixou o jornalista numa tremenda saia justa!!! Uma platéia o aguardava do lado de fora e escutava aquele sermão!!!!! Foi aí que um deles traduziu as palavras proferidas pela alemã!
“ Se não der descarga a porta não destrava” dizia a  funcionária. China contou que o coro de risos tomou o local durante horas!

Esta outra, mais engraçada ainda é do Doutor Sócrates e é inesquecível!
 Era Copa do Mundo no México. Não me lembro o ano.
 O Magrão foi o sorteado para passar pelo exame de anti -  dopping. No trajeto ele acabou cruzando com o Nocaute Jack, até hoje massagista da seleção brasileira. Ele foi na frente verificar o ambiente para o exame e logo que presenciou uma grande cena, avisou o craque,
” Sócrates, a geladeira está cheinha de cerveja”. Era para quem não conseguisse urinar, seria incentivado por um gole, mas apenas um gole. Imaginem onde essa história vai parar! O Magrão que gosta da cevada todos sabem, nunca escondeu! Imaginem então há 40 dias sem botar umazinha pela guela!
O Telê Santana fazia marcação cerrada! Não dava mole mesmo.
No cubículo onde seria feito o exame, estavam um profissional da Fifa, o outro jogador sorteado, um neozelandês. Na hora o cara que era bastante  grandão encheu o tubinho e saiu sem beber nada. Foi fácil, contou o Magrão.
O Sócrates que era super magro e perdia três quilos e meio de líquido por partida, até repor todo o líquido perdido começou a tomar cerveja. Não conseguia urinar de jeito nenhum. E foi tamar uma para incentivar! Toma uma, toma duas... foram várias...
Detalhe, o Telê estava no ônibus do lado de fora esperando o fim do exame do Sócrates para ir embora com o resto da equipe. Uma certa altura ele se cansou e disse.
” Olha Sócrates, vou deixar um taxi a tua disposição e depois você vai para o hotel ok!” E foi embora, contou na mesa o Sócrates.
 O Magrão disse que acabou com o estoque de cerveja! Sei lá se é verdade. Disse também que só conseguiu encher meio tubinho de ensaio com urina para o exame! O resultado, sei lá também!!!! Não deve Ter dado em nada!
Contou que chegou no hotel no maior pileque! Getúlio, Juninho entre outros integrantes da seleção daquela época de ouro, ficaram morrendo de inveja!
Esta é mais uma das milhares de inesquecíveis histórias que vou contando ao longo da vida!

Bueno – cantor e compositor 

quarta-feira, 28 de março de 2012

Serenata na Praça Sete de Setembro


Como acontece toda ultima sexta do mês, a Prefeitura Municipal e a Secretária da Cultura de Ribeirão Preto realizam na Praça Sete de Setembro o projeto Ribeirão das Serestas.

Desta vez será na noite de 30 de março com inicio às 20h30 até às 22h30.

O projeto visa resgatar o que há de melhor do nosso cancioneiro popular ao som do Sexteto Colibri e a cantora Sonia Maria.

Para essa noite o sexteto preparou um repertório que passeia por maxixes, sambas, boleros, tangos, forrós e demais ritmos de nossa cultura musical.

Participação especial do Maestro e Pianista Mozart Figueiredo.

Compareça, se possível leve um banquinho ou cadeira...Lá tem pipoqueiro, padaria na esquina e sorveteria...Pode até dançar!!!

sexta-feira, 23 de março de 2012

Você é a saudade que eu gosto de ter...


* Bueno
buenocantor@terra.com.br
www.buenocantor.blogspot.com

Esta frase faz parte da maravilhosa música Outra vez, composta por Isolda e gravada por Roberto Carlos. Sem medo de errar, posso garantir que este é um dos maiores sucessos gravados por ele até hoje. Certa vez, um repórter perguntou ao Roberto qual a música que não é sua e que ele gostaria de ter sido o autor. O Rei não teve dúvida e respondeu na hora: Outra vez, de Isolda.
Gosto tanto desta música que, dentro do meu projeto de sempre cantar um nome da MPB, quando canto a obra do Roberto Carlos ela é a primeira do repertório. Meu filho Lucas Bueno era meu pianista, e adorava fazer aquele acorde da intro­dução. Ao tocar a última nota, olhava pra mim como a me dizer: “Entra pai, agora é com você...”
E eu deixava a nota quase morrer e daí cantava: “Você foi o maior dos meus casos...” Era só voz e piano, era só eu e ele e o Lucas mostrava ali todo seu talento. Lucas é a saudade que eu gosto de ter.
Uma das coisas que valoriza uma obra, seja de um pintor ou a música de um compositor, é o fato de que a mensagem que tentam transmitir provoca uma ou mais formas de se imaginar o que o artista quis passar. Um compositor campeão no que acabo de escrever é Chico Buarque, sua obra é algo fantástico, viajo em suas letras imaginando situações das mais diversas, e é justamente o que aconteceu com meu texto de hoje.  
O gozado é que eu estava sem tema para escrever esse texto quando, como que por encanto, alguém me assoprou a frase do titulo. Procurei, então, pesquisar a obra de Isolda e tive a grata surpresa em descobrir que esta música ela não compôs tentando retratar o fim de um caso amoroso, e sim compôs para seu irmão e parceiro, o também cantor e compositor Milton Carlos, morto aos 22 anos em um acidente de trânsito em 1976, no quilômetro 56 da Via Anhanguera,  próximo a Jundiaí.
Milton Carlos compôs e gravou coisas memoráveis, como Samba Quadrado, uma letra genial. Veja só: “Eu fiz um samba quadrado pra você sentir... Que quanto maior a distância maior é o fim...” Ou Memórias do Café Nice, que diz: “Ai que saudade me dá... Ai que saudade me dá... Do bate-papo, do disse me disse... Lá do Café Nice ai que saudade me dá”. Tenho este CD em casa e sempre o revisito. Ele tinha a voz bem próxima à feminina e lembro-me que até fiquei surpreso ao descobrir que era homem.
Isolda e seu irmão, desde muito pequenos, impressionavam a todos pela facilidade com que compunham lindas canções, participavam de festivais, faziam coro para bandas e artistas e viviam enviando músicas para cantores e cantoras gravarem.
O ano de 1973 foi o mais importante para eles, pois Roberto Carlos gravou deles a música Amigos, amigos, a partir daí eles passaram a fazer parte dos LPs que o Rei lançava todos os finais de ano, nessa época, seus discos eram disputados ‘a tapa’, pois, qualidade e beleza não faltavam. Roberto gravou deles Pelo Avesso e Um jeito estúpido de te amar.
Quando Milton sofreu o acidente, Isolda pensou em parar com a música, dizendo que a tão precoce partida do irmão a fez dividir sua vida em antes e depois do óbito, mas amigos a acolheram e, sem que percebesse, voltou a compor sozinha. Ela, que desde pequena brincava de fazer música, de repente ficou sem o amigo para brincar.
Isolda conta que numa madrugada estava com seu violão e bateu aquela saudade do irmão. Sem nenhuma pretensão compôs Outra Vez e a deixou guardada. Roberto Carlos ligou para Isolda pedindo músicas, ela gravou uma fita e a colocou entre outras e mandou para o Rei, que escolheu justamente esta, Outra vez. É coisa de Deus!
O LP de 1977 foi um de seus maiores discos e nela está essa maravilha de letra e música, emocionando tanta gente Brasil afora... Tomando conhecimento da história desta obra, eu, mais que ninguém, entendo perfeitamente o que ela quis dizer com a frase: “Você é a saudade que eu gosto de ter”.

* Cantor e compositor

domingo, 18 de março de 2012

Teatro de Arena - Ribeirão Preto


Inaugurado em 1969 o Teatro de Arena, obra do engenheiro Jaime Zeiger, realizada com a ajuda do grande artista plástico Bassano Vaccarini, foi criado para ser um espaço dedicado aos jovens e a todos os envolvidos em ações culturais. Localizado no Morro do São Bento, próximo ao Teatro Municipal, o local foi escolhido pela topografia que beneficia a qualidade acústica do teatro. Foi o primeiro teatro de arena do interior do estado de São Paulo e estreou com a peça Antígona, de Sófacles. Por seu palco já passaram grandes artistas e eventos, como o Festival Internacional de Blues e a Virada Cultural.

Atualmente, o teatro de arena recebe alguns eventos culturais e aguarda a definição de um projeto para a revitalização de toda a área do Morro do São Bento, que o inclui. "Existe a extrema necessidade de revitalizar o espaço e reiniciar o processo de fomento cultural, tanto que já estamos trabalhando em um projeto de revitalização para poder atender ao público artístico e uma plateia ávida pela retomada das atividades”, explica a secretária da cultura, Adriana Silva.

Adriana revela, ainda, que a Secretaria da Cultura está promovendo uma campanha para conseguir parceiros que irão ajudar na revitalização. “Lançamos a Campanha “Empresas Amigas do Arena” e alguns empresários já entraram em contato conosco. Estamos trabalhando em prol de um beneficio para Ribeirão Preto”, diz Adriana.

Para ajudar na revitalização do teatro, alguns artistas e produtores iniciaram o Movimento Pró-Teatro de Arena, que pretende discutir a importância deste espaço. "A proposta é que a sociedade civil se organize para discutir a importância social e política deste espaço cultural, tanto para a cidade de Ribeirão Preto quanto para a região", explica Nathália Fernandes, atriz, produtora cultural e uma das coordenadoras do movimento pró-arena.

A secretária da cultura, Adriana Silva, ressalta a importância histórica do teatro para Ribeirão Preto. "São 42 anos de história, o Teatro de Arena demonstra uma representatividade política impressionante na história da cidade, esse é um dos motivos para revitalizarmos o local. É uma forma de mantermos uma tradição", conclui. 

Monumentos Históricos de Ribeirão Preto

- Relógio da Praça XV
Monumento histórico da área central de Ribeirão Preto, o relógio da Praça XV foi instalado na década de 1.930. A proposta de Gilberto Nóbrega era construir um monumento para embelezar o local. Pouco se sabe sobre a obra, que em 1.976  teve o mecanismo alterado.
Data da instalação: 06/09/1.939
Localização: Praça XV de Novembro – Centro
- Monumento ao Soldado Constitucionalista de 1.932
Construído em 1.935 o “Monumento ao Soldado Constitucionalista de 1.932” é uma homenagem aos soldados combatentes de Ribeirão Preto que lutaram na Revolução Constitucionalista de 1.932.
Data de instalação: 1.935
Localização: Praça XV de Novembro – Centro
- Músicos 
O artista plástico Tirso Cruz esculpiu uma de suas paixões no Morro do São Bento, a música. Instaladas em 1.985 para homenagear a classe artística de Ribeirão Preto, as esculturas de flautista, violinista e violoncelista caracterizam a forma irreverente do músico.
Data de instalação: 19/6/1.985 
Localização: Morro do São Bento - Jardim Mosteiro.
- Igreja Santo Antônio
Fundada em 1.947 a Igreja Santo Antônio de Pádua abriga o mosteiro da Congregação dos Monges Beneditinos Olivetanos e possui um acervo de livros de grandes filósofos e teólogos como Karl Marx, Friederich Nietzsche, São Tomás de Aquino e Santo Agostinho.
Data da instalação: 1947
Localização: Rua Paraíba, 747, nos Campos Elíseos 



- Santuário das Sete Capelas
Localizado no alto do Morro de São Bento, o Santuário das Sete Capelas é um lugar de encontro com a paz e a natureza. As sete capelas foram construídas por monges beneditinos em datas distintas, cada uma é dedicada a um santo padroeiro. Dispostas em um semicírculo em meio a uma pedreira estão as capelas de Nossa Senhora das Graças (1.948). Seguiram-se então, a de São Judas Tadeu (1.951), Nossa Senhora Aparecida e Santa Terezinha (1.954), São Jorge (1.955), e encerrando o santuário, as capelas de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e da escadaria (capela da Penitência).
Data de instalação: cada capela foi construída em uma data
Localização: Morro do São Bento

Maria Fumaça Phantom, localizada na Vila Tibério, fez parte de uma das histórias mais importantes de Ribeirão Preto: a era do café e é uma das três últimas remanescentes do gênero, mas atualmente é usada como abrigo para moradores de rua e usuários de drogas.

Doada ao município pelas Indústrias Matarazzo em 1912, a locomotiva foi fabricada na Alemanha e preserva apenas as siglas “US. Amália” em suas laterais direita e esquerda.

Exposta sobre 30 metros de trilho, desde os primeiros anos da década de 1970, a Maria Fumaça Phantom está perdendo suas características, pois do local já foram levadas peças de cobre, ferro e aço.

Para a historiadora do Arquivo Público e Histórico de Ribeirão Preto, Tânia Registro, todo monumento nasce com o objetivo de fazer lembrar algo, assim, a Maria Fumaça tem essa função, marcar ou assinalar algum acontecimento ou personagem da história da cidade. “A locomotiva da Praça Schmidt, tem o significado de perpetuar a  lembrança de que um dia a estrada de ferro e o trem foram importantes para Ribeirão Preto. A estação e todo um complexo arquitetônico e logístico da antiga Companhia Mogiana existiam no entorno onde está hoje a locomotiva”, explica.
- Praça dos Expedicionários
No ano da comemoração do cinquentenário da participação do Brasil na 2ª Guerra Mundial foi inaugurada a Praça dos Expedicionários com um conjunto de monumentos alusivos a participação dos Brasileiros na Guerra.
Data de instalação: 24/06/1.995
Localização: Praça dos Expedicionários - Parque Bandeirantes
- Ao Centenário da Independência do Brasil
O “Obelisco” foi instalado como parte das comemorações do centenário da Independência do Brasil. Inicialmente localizava-se na Avenida 9 de Julho, próximo à Recreativa, posteriormente, foi transferido para o cruzamento da avenida Independência com a 9 de Julho.
Data de instalação: 07/9/1.922
Localização: Cruzamento das avenidas 9 de julho e Independência - Higienópolis

***Fonte: www.revide.com.br

CANAL NAVEGÁVEL CRUZA (POR CIMA!) RIO ALEMÃO

Pontes navegáveis são construções raras de se encontrar no mundo – o que já faz de qualquer uma atração imediata. Se estivermos falando da maior do planeta então, o encanto se multiplica. Localizada na Alemanha, a Wasserstrassenkreuz possui a estrutura de um aqueduto – como o da Lapa, no Rio de Janeiro -, mas foi projetada para ser cruzada por grandes embarcações.
Inaugurada em 2003, e medindo um total de 920 metros de comprimento, a maior ponte navegável já feita pelo homem conecta dois canais – o Elbe-Havel e o Mittelland – ao passar por cima do Rio Elba, um dos mais importantes da Europa, próximo à cidade de Magdeburg.
Centenários, os canais eram ligados antigamente por uma passagem complicada, que se estendia por 12 km. Por conta disso, o planejamento para conectá-los começou há quase um século, mais precisamente em 1919. As obras chegaram a ser iniciadas em 1938, mas tiveram de ser interrompidas por conta da Segunda Guerra Mundial.
Somente após a reunificação da Alemanha, a construção pôde ser efetivamente retomada. A um custo de 500 milhões de euros, ela começou em 1997, e consumiu impressionantes 24.000 toneladas de aço e 68.000 m³ de concreto. O investimento valeu a pena: a moderna conexão dos canais representa uma economia anual de bilhões de euros para a Alemanha, uma vez que é por esta via que o porto fluvial de Berlim liga-se ao Reno, mais importante rio de toda Europa.











sábado, 17 de março de 2012

Como os torcedores se veem

Cantar a letra errada

* Bueno
buenocantor@terra.com.br
www.buenocantor.blogspot.com

O que eu já vi de gente cantando letra de música errada não está no gibi. Às vezes, até gravação sai com esta falha, talvez por um descuido do produtor ou por falta de conhecimento do mesmo.
Vou dar aqui um exemplo de uma música linda do Belchior, Como nossos pais, imortalizada na interpretação e voz da nossa pimentinha Elis Regina. Aliás, Elis sempre prestigiou novos compositores. Graças à sua mão amiga, eles tiveram suas músicas gravadas e tornaram-se conhecidos nacionalmente.
Ela gravou músicas de Fagner, Belchior, Milton Nascimento – todos em inicio de carreira e eles não escondem sua gratidão, sempre que são entrevistados referem-se a ela com muito carinho.
Pois bem, mas voltando a música – Como nossos pais –, sempre que ouço alguém cantá-la fico só “de butuca”, esperando chegar na parte em que a letra diz: “mas é você que ama o passado e que não vê que o novo sempre vem...” Muitos trocam o “ama o passado” por: “mal passado”, e aí fica: “mas é você que é mal passado e que não vê que o novo sempre vem...”
Ora, mal passado é um delicioso e suculento bife, e olha que o tal bife muda o sentido na sequência da letra, mas quem a canta errada vai mais pelo som parecido do que pela mudança de sentido. Não faz muito tempo, vi no programa do Raul Gil uma moça cantar essa música e ela fritou o tal bife. E eu, ali. remoendo por dentro com esse gravíssimo erro.
Ooutra música que cantam a letra errada é Menina Veneno, de Ritchie e Bernardo Vilhena, em que a letra diz: “meia-noite no meu quarto, ela vai surgir, ouço passos na estrada, vejo a porta abrir...” Agora é que o bicho pega – Bernardo Vilhena, autor da letra, escreveu: “um abajur cor de carmim...”
Mas aí vêm quase todos os intérpretes e duplas e cantam: “um abajur cor de ‘carne’...” Imaginem só: “cor de carne?!?!” – daí fico pensando como se sente o autor da letra Bernardo Vilhena, ao ouvir sua letra “estrupada” dessa maneira.
Pô, pensem bem: o letrista fica ali debruçado sobre uma mesa, caneta e papel, riscos e rabiscos, queimando as pestanas, tentando criar algo que enriqueça nossa tão pobre música brasileira e me vem um cantor que não se preocupa nem um pouco com o que vai cantar e troca a linda frase cor de carmim por cor de carne!!!
Aí, digo eu: “parem o mundo que eu quero descer”, escreveu o compositor e cantor Silvio Brito. O pior é que, modificando a letra, tiram todo o romantismo da intenção do compositor, que descreve um momento de espera por sua amada na magia de um quarto.
Outra canção que mudam a letra com frequência é Whisky a go go – de Maichel Sullivan e Paulo Massadas. O que eu já ouvi de gente “operando” essa letra é brincadeira. O correto é: “foi numa festa gelo e cuba libre, e na vitrola whisky a go go...” A galera troca cuba libre por cuba livre, como o som é bem próximo, leva o cantor ao erro e como este fato acontece no começo da música percebe-se a mancada fácil, fácil.
A música Noite do Prazer, de Cláudio Zoli, é aquele tipo de que sempre será cantada, tudo porque tanto a melodia, que é linda como a letra, saem do lugar comum, não é aquele tipo enjoativo nem pegajoso como essa do Michel Teló, que depois de três meses ninguém mais suporta ouvir.
Bem, essa canção de Cláudio, quando entra no refrão “na madrugada vitrola rolando um blues, tocando B.B. King sem parar...”, muita gente quando canta troca “tocando B. B. King” – um dos bambas do blues mundial por – por “tocando de biquíni sem parar” – mais uma vez, o som, ao pronunciar a letra, é parecido, provocando o cantante ao erro.
Quando ouvi Roberto Carlos cantar “é preciso saber viver” – que é de sua autoria –, na parte da letra que diz: “se o bem e o mal existem, é preciso compreender”, o Rei cantou: “se o bem e o bem existem...” Falei na hora: “o Roberto errou sua própria música”. Mas, passado algum tempo, li em uma entrevista que ele resolveu tirar a palavra “mal” da letra. Coisas de artista, coisas do Rei. Já acatei. Tá contado.

* Cantor e compositor

domingo, 11 de março de 2012

No rancho fundo...


Você já ouviu falar de Lamartine Babo??? Não??? Não se preocupe, na certa já cantarolou alguma música que ele compôs, mesmo você sendo jovem. Lamartine Babo, apelidado Lalá, nasceu em 1904 e viajou para o andar de cima em 1963, aos 59 anos.
Lamartine Babo é autor de pérolas inesquecíveis da MPB. Costumo dizer que música bonita não envelhece e o titulo deste meu texto de hoje é de uma de suas centenas de composições: No rancho fundo, de Ary Barroso e Lamartine Babo. Eu já a conhecia e lembrei que a última gravação foi de Chitãozinho & Xororó.
Lamartine ficou também conhecido internacionalmente como Rei do Carnaval, pela facilidade com que ele compunha marchinhas de carnaval, como O teu cabelo não nega. Quem é que não cantou esta marchinha nos bailes de carnaval? E olha que não faz tanto tempo assim os clubes deixaram de promover essas folias saudáveis. Recentemente, tive noticia de que essa música estava sendo considerada racista por causa da letra. Outra dele é Linda morena, cantada e recantada em muitos carnavais.
Lamartine era tijucano de carteirinha, defendia com unhas e dentes seu bairro, a Tijuca, no futebol era louco pelo América do Rio de Janeiro e na última vez que seu time foi campeão, em 1960, desfilou pelas ruas do Rio fantasiado de Diabo, símbolo de seu clube, tempo em que o radio AM imperava. Seu espírito inventivo, junto com sua técnica musical e sua versatilidade criavam melodias maravilhosas.
O compositor era dono de rara inteligência. Contam que certa vez foi ao correio passar um telegrama e, enquanto aguardava sua vez, o jovem telégrafo, usando um lápis, bateu em código Morse para seu colega do lado: "Magro, feio e de voz fina". Lamartine captou a mensagem, tirou o lápis da mão do rapaz e usando o mesmo código respondeu: "Magro, feio, de voz fina e ex-telegrafista". O cara ficou com a maior cara de paisagem que já se viu.
Lamartine também era tio de Sargentelli, aquele bon vivant que vivia entre "as mulatas que não estavam no mapa", e com um time de primeira linha do samba viajava pelo mundo mostrando esse valioso produto nacional.
Sei muitas historias de Lamartine, mas tem uma que até hoje me intriga. É o fato dele ter recebido a incumbência de compor os hinos de todos os clubes cariocas. E não é que ele resolveu encarar... Ouvi Sergio Cabral pai, que é a memória viva da música popular brasileira, dizer numa entrevista que trancaram Lamartine em uma casa e que ele só saiu quando acabou de compor os hinos. Num só, dia compôs os hinos do Flamengo, Fluminense, Vasco, Bangu e América... Os outros ele foi fazendo com o passar do tempo.
Eu, como compositor, sei a dificuldade encontrada para se compor uma melodia, a letra a gente vai modificando até o produto final, agora ele fez letra e música dos principais clubes do Rio num só dia, sendo americano roxo. Até dizem que no hino do América ele caprichou mais, tenho cá minhas dúvidas, pois adoro o hino do Mengo, principalmente na parte em que a letra diz: "Seja na terra, seja no mar... Vencer, vencer, vencer... uma vez Flamengo, Flamengo até morrer".
Na MPB, adoro a valsa Eu sonhei que tu estavas tão linda, em que ele retrata um baile à moda antiga, onde violinos enchiam o ar de emoção com os pares rodando ao som da mágica musica.
Em matéria de música recebemos de Lamartine uma herança de valor inestimável, entre tantas adoro cantar Serra da Boa Esperança, que dela contam uma história incrível.
Há pessoas tão pobres, mas tão pobres que a única coisa que possuem é... dinheiro. Desse vil metal Lamartine Babo era totalmente desprendido, nosso querido Lalá foi embora quase que como chegou.
* Cantor e compositor

sábado, 10 de março de 2012

O mundo sem as MULHERES.

O cara faz um esforço desgraçado para ficar rico pra quê? 
O sujeito quer ficar famoso pra quê? 
O indivíduo malha, faz exercícios pra quê? 
A verdade é que é a mulher o objetivo do homem. 
... Tudo que eu quis dizer é que o homem vive em função de você.
Vivem e pensam em você o dia inteiro, a vida inteira.
Se você, mulher, não existisse, o mundo não teria ido pra frente.
Homem algum iria fazer alguma coisa na vida para impressionar outro
homem,para conquistar sujeito igual a ele, de bigode e tudo.
Um mundo só de homens seria o grande erro da criação.
Já dizia a velha frase que 'atrás de todo homem bem-sucedido existe uma grande mulher'.
O dito está envelhecido. Hoje eu diria que 'na frente de todo homem
bem-sucedido existe uma grande mulher'
É você, mulher, quem impulsiona o mundo.
É você quem tem o poder, e não o homem.
É você quem decide a compra do apartamento, a cor do carro, o filme a ser visto, o local das férias.
Bendita a hora em que você saiu da cozinha e, bem-sucedida, ficou na frente de todos os homens.
E, se você que está lendo isto aqui for um homem, tente imaginar a sua vida sem nenhuma mulher.
Aí na sua casa, onde você trabalha, na rua. Só homens.
Já pensou?
Um casamento sem noiva?
Um mundo sem sogras?
Enfim, um mundo sem metas.
(Arnaldo Jabor)

quarta-feira, 7 de março de 2012

Chico Buarque e MPB4 - Quem Acreditou Na Vida Como Eu

http://www.youtube.com/watch?v=J1WBHnpsnZQ&feature=fvsr

Tô na moda!!!

Chapéu Panamá vira mania de brasileiro para se esconder do sol

Antigo costume do uso do chapéu Panamá voltou na moda entre brasileiros, principalmente cariocas, como uma alternativa para se proteger do calor forte do verão deste ano em grande estilo

http://estadao.br.msn.com/fotos/chap%c3%a9u-panam%c3%a1

terça-feira, 6 de março de 2012

Declaração de Imposto de Renda - NÃO SE ESQUEÇA!!!

 
LEMBREM-SE QUE O PRAZO PARA ENTREGA DA DECLARAÇÃO DE RENDA DO
EXERCÍCIO DE 2012, ANO BASE 2011, TERMINARÁ NO DIA 30 DE ABRIL.


ANO A ANO A DECLARAÇÃO DE I.R ESTÁ MAIS DIFÍCIL DE SER PREPARADA PORQUE É NECESSÁRIO
TOMAR MUITO CUIDADO NA HORA DE DEFINIR QUEM SÃO SEUS DEPENDENTES..



SE VOCÊ ESTÁ ENCONTRANDO ALGUMA DIFICULDADE PODE UTILIZAR A LISTA DE DEPENDENTES
RELACIONADA ABAIXO.


DECLARAÇÃO ANUAL DE RENDIMENTOS - PESSOA FÍSICA


RELAÇÃO OFICIAL DOS

MEUS DEPENDENTES
:

01)
Governo Federal- Impostos diversos                                              
02)
Governo Estadual- IPVA, ICMS etc.;
03)
Governo Municipal -IPTU, TRSD,ISSQN etc.;
04)
INSS- Contribuição previdenciária;
05)
Conselho Regional Profissional - Contribuição anual ;
06)
Sindicato da Categoria Profissional - Contribuição anual;
07)
SABESP/PREFEITURA - Contas de água e esgoto (consumo mínimo mesmo que não tenha consumido) e taxa de coleta de lixo;
08)
CPFL/GLP- Contas de luz e gás (consumo mínimo mesmo que não tenha consumido);
09) Telefônica
/Brasil Telecom/TIM/ CLARO/VIVO celular - Assinatura mensal;
10)
Plano de Saúde - Mensalidade;
11)
Detran- Licenciamento anual de veículo, transferência e renovação de carteira de habilitação;
12)
Contran- Taxa de inspeção veicular ;
13)
IRB- Seguro automotor obrigatório ;
14)
Concessionárias de estradas de rodagem - Pedágios ;
15) CET/DSV -
Talões de estacionamento ;
16)
Terminais aeroviários e rodoviários- Taxa de uso dos sanitários ,instalações e estacionamento ;
17)
Instituições financeiras- Taxas de administração e manutenção de contas correntes, renovação anual de cartões de crédito, requisição de talões de cheque etc.;
18) Tomadores de conta de veículos, guardadores de lugar em filas, cambistas diversos, flanelinhas e vendedores de semáforos
- Caixinha, cafezinho etc.;
19) Carteiro, lixeiro, varredor de rua, porteiro do prédio, leitores de relógios e entregadores de contas, entregadores de gás, de água etc.
(Páscoa, Natal, Ano Novo)          

Mais 567 deputados federais e
81 senadores, com as respectivas AMANTES e CORJAS...

E também deputados estaduais, Prefeitos e vereadores.

E, ainda, mais todos os presidiários do País, por conta do Auxilio Reclusão. 

HISTÓRIAS E MANIAS DE ARTISTAS

Artista tem cada mania... Quem nunca ouviu pelo menos uma vez essa frase. E Por essa minha vivência no meio, posso relatar algumas que presenciei e ouvi.
Zé Ramalho é reconhecido pelo seu vozeirão grave. Na juventude teve bandas de Rock e contou numa entrevista que conversava com ETs em seus discos voadores.  Ele é tão místico que existe um cômodo em sua casa, que nem sua mulher entra. Só ele sabe o que tem lá dentro! O que será. O segredo é guardado a sete chaves... que ficam todas com ele!
Todos sabem que o talentoso Ed Motta é sobrinho do saudoso Tim Maia. O que muitos não sabem é que, quando esteve em Ribeirão Preto para um show, no contrato havia uma cláusula em que o cantor exigia vinte e quatro garrafas de cervejas estrangeiras. Duas de cada marca. Tive acesso à relação das marcas exigidas pela produção do Ed Motta. São nomes como Leffe, Hoegaarden, Tripel Karmeliet, Chimay, Duvel, entre outros nomes estranhos... Eram ao todo doze marcas. Os produtores tiveram trabalho para encontrá-las. Interessante é que no final da relação a qual guardo de lembrança até hoje, havia uma observação “proibido as marcas de cervejas Warsteiner e Heineken”! No mínimo é uma exigência inusitada, mas o que me deixou ainda mais intrigado é que fiquei sabendo de fonte confiabilíssima que o Ed Motta não bebeu nenhuma delas. Levou todas para o Rio de Janeiro. Das duas, uma. Ou é colecionador ou louco!
Minha querida amiga Rita Lee já vai mais longe! Exigiu cem toalhas brancas em seu camarim e tinham de ser de uma marca só, determinada por ela! O bichinho da curiosidade me comia por dentro! O que ela iria fazer com tantas toalhas?
E foi início o show na Esplanada do Teatro Pedro II, sem explicação que ela começou a jogar toalhas para o público. Entender o porquê da atitude... Coisas da rainha do rock!
O Jorge Ben, hoje Jorge Ben Jor por causa da numerologia exigiu uma cesta de frutas exóticas ao seu dispor. Também não comeu nenhuma! Mas as levou embora viu! Não deixou nenhuma no camarim!
Sem contar que quando está a caminho de um show e por acaso cruza com um gato preto no meio do caminho, o cancela sem precedentes. Isso já aconteceu!
Outro dado curioso é uma sacola cheia de frascos de alfazema. São usados nos camarins e nos palcos para, segundo o artista, espantar maus fluídos! Vai entender!
O Tim Maia deixou um verdadeiro legado de histórias para serem contadas.
 Seu nome de batismo era Sebastião Maia, aquele que falava assim “Não fumo, não cheiro e não bebo, mas minto um pouquinho”! Esse era o rei do barraco!
Na juventude seu apelido já era polêmico. Tião Maconheiro. Era uma época de ouro. Ele tocava com Erasmo Carlos no início do surgimento do rock no Brasil.
 Foi nessa época que Tim Maia resolveu ir embora para os Estados Unidos. Chegou a se naturalizar cidadão americano. Logo em seguida estourou a guerra do Vietnã. Uma penca de americanos natos ou naturalizados estavam sendo convocados.  É claro que Tim, americaníssimo foi convocado para combater nas selvas do Vietnã em nome da terra do Tio San. Mas é claro que o malandro, carioca da gema, não sei como, fugiu dessa roubada!
Desembarcou no Rio, é claro, perdeu a cidadania americana e virou desertor! Nunca mais pisou lá, não por que não queria, mas por que não podia! Era Persona non grata!

Logo em seguida estourou com a música “Primavera” e se transformou num dos maiores artistas da música popular brasileira.

Vale à pena contar mais histórias do Tim. Numa outra oportunidade, ao assinar um contrato com uma gravadora, recebeu como parte do pagamento um terreno na Barra da Tijuca. O bairro estava começando a ser formado. Detalhe, ele nem foi conhecer o terreno. Mas mandou construir lá! Para sua surpresa o engenheiro disse que se tratava de um terreno íngreme e seria preciso mais de dois mil caminhões de terra para aterrá-lo. Tentando buscar uma solução fácil, Tim perguntou ao engenheiro. “Como é o terreno ao lado” - ele respondeu” retinho”.  - “Então pode construir lá!” Autorizou o cantor.

Só sei que quando a construção estava pronta apareceu o verdadeiro dono. Imaginem o barraco que rolou!  E até antes do Tim morrer, o processo ainda rolava nos tribunais do Rio de Janeiro.

Tim Maia teve uma vida cercada de grandes feitos e muitas histórias inacreditáveis.
Essa aconteceu quando ele morava num condomínio e não tinha a simpatia dos vizinhos por causa das festas regadas a muita música e bebidas. Eram conhecidas também pelos “barracos”, baixaria mesmo! O TIM Maia era f...!
Foi por isso que seu amigo Jorge Ben Jor o homenageou na canção “W Brasil”. Foi nesse edifício onde ele não era muito querido não, que o artista cismou que o síndico teria que mudar uma escada de lugar! Vejam só! Mas é claro o síndico não atendeu seu pedido.
Articulador ardiloso, Tim Maia buscou uma solução para seu problema. Se entrasse numa disputa para a vaga de síndico do prédio, jamais seria eleito. Foi ai que, em comunhão com outro morador, seu amigo e fã que foi armado o esquema. O rapaz sairia como candidato a síndico e Tim Maia na chapa como subsíndico. Se ele ganhasse a eleição, deixaria o cargo e Tim Maia assumiria o posto e, finalmente, teria poder para mudar a escada de lugar. E não é que o plano deu certo!
Tim assumiu o cargo e sua primeira atitude foi destruir a escada que tanto o incomodava e construiu outra onde queria!
Daí Jorge Ben se inspirou e compôs “...tira essa escada daí. Essa escada tem de ficar aqui fora, eu vou chamar o síndico, Tim Maia, Tim Maia...”
Esse cara tem história pra contar, mas ai já é outra história!

Bueno – cantor, compositor